quarta-feira, 9 de abril de 2008

Já não sou daqui...
Em viagem sem retorno
A minha alma migrou
Para junto de quem gosto
Ao encontro do contorno
Do teu rosto!

Já não sou daqui
O meu corpo voou
Em direcção ao teu
E ficou pairando
À espera de ti
Como um condor no Céu!


Já não sou daqui
O meu norte és tu
E contra ventos e marés
É para lá que eu vou
Pois sei onde estás
E sei quem tu és!

Já não sou daqui
Abre-me a tua porta
Espera por mim
Pois quando chegar
Vou dizer assim:
«Venho para ficar!»

16 comentários:

Filoxera disse...

És um romântico. E inspirado!
Parabéns.

Marta disse...

Que inspiração o vento te trouxe...
Obrigada pelo comentário que deixaste no meu blog...
Beijos e abraços
Marta

Andreia do Flautim disse...

Tens jeito para a fotografia e para a poesia!

Júlia Coutinho disse...

Alex, o Jantar Não é da Associação 25 de Abril! É um jantar comemorativo do 25 de Abril, organizado por uma Comissão Promotora que reune um leque vasto de pessoas empenhadas nas causas de Abril e da Liberdade!
Mais vale colocares apenas: Jantar Comemorativo do 25 de Abril.
E em vez de colocar o meu nome, pões:
www.emabrilaguasmil.blogspot.com
ou então
www.ascausasdajulia.blogspot,com

Por favor, emenda.
Isto induz em erro.
beijinhos
julia

Entre linhas... disse...

Pois é meu amigo,não existe nenhuma direcção que não siga a bússola...segue sempe em direcção ao teu Norte e não olhes para trás.

Amigo julgo que conheço a paisagem da foto do cabeçalho do teu blog lolol

Bjs Zita

irneh disse...

Olá

Espero que seja para concretizar essa decisão anunciada!!!
Beijinhos

Sol da meia noite disse...

Somos seres inconstantes, nunca estamos bem onde estamos...

Bj

mulher disse...

Muito bonito o poema, andas mesmo inspirado Alex, admito que tenhas muitos feitos e de vez em quando abras o baú.Não sei!
É lindo.
Obrigada, beijinho

Marta Ribeiro disse...

Distância imensa, saudade da tua presença...

Te sentindo no peito, te sentindo na alma imploro a calma, mas aos poucos vou morrendo, sabendo que estamos mais distantes que supomos, mais longe do que suportamos.

Quisera fugir, mas para onde quer que eu vá, este amor vai me acompanhar, e eu sei que sempre, sempre vou te amar.

Diário de um Anjo disse...

Muito bonito. De facto a nossa mente deveria estar sempre aonde está o nosso coração!
Beijinhos

Outonodesconhecido disse...

espero que a porta se abra...
bom fim de semana

Mário Franco disse...

uma inspiração de saudade...
muito bom...força.

franc-a-mente.blogspot.com

adeptofranco.blogspot.com

SimplesmenteAna disse...

Mais uma vez um bonito e inspirado poema.
Será o "inconstante", o palco onde te surge este turbilhão de ideias? Este é um grito de liberdade, de querer estar fisicamente onde já está a alma... é o reencontro com o que se deseja. Nem sempre a vida permite que estejamos onde a nossa alma é feliz e verdadeiramente satisfeita.

Alex: a vida é feita de conquistas e espero que consigas alcançar o que mais te faz feliz e que encontres o lugar mágico onde possas sentir "é aqui que quero estar e é aqui que eu vou ficar!"

1 :-) e 2 beijos

Blue Velvet disse...

Está lindo o seu blog, Alexandre.
Lindooooooooo.
De azul vestido como meu.
Como o mar, e
como o céu.
Quanto ao poema, também está lindo, mas não seria melhor não bater à porta?
Beijinhos e veludinhos

Anónimo disse...

Este poema ficava muito bem musicado, acho eu. De qualquer modo, é lindo, muito lindo mesmo.

Um abraço

PERLE disse...

Este poema ficava muito bem musicado, acho eu. De qualquer modo, é lindo, muito lindo mesmo.

Um abraço

Perle