quinta-feira, 21 de agosto de 2008

JOGOS OLÍMPICOS DE PEQUIM E PERSONALIDADE DOS PORTUGUESES!

Impressionante a influência que a medalha de ouro de Nelson Évora tem nos mais novos: pelas praias do país é costume ver crianças a «ensaiarem» os seus primeiros saltos em comprimento... e é assim que se começa!


Sobre a participação dos atletas portugueses nos Jogos Olímpicos de Pequim tenho uma análise diferente daquela que tem sido divulgada pela Comunicação Social e assumida por muita gente. Para mim - e no geral - os atletas portugueses presentes em Pequim cumpriram e alguns até excederam aquilo que deles se esperava - houve 3 ou 4 decepções, é certo, que por acaso coincidiram com aqueles atletas de quem se esperava mais. E acuso a Comunicação Social de ser a principal responsável pela polémica e o desânimo que se instalou entre os portugueses, lá na China e aqui em Portugal.

E isto porque a Comunicação Social - em especial jornais desportivos e televisões - só se «lembra» destes atletas de 4 em 4 anos, quando há Jogos Olímpicos. Nesse interregno os atletas das modalidades ditas amadoras são completamente ignorados por uma Comunicação Social rendida apenas ao futebol... do dinheiro! Se se fizesse uma sondagem, ficaríamos a saber que a maioria dos portugueses nunca teria ouvido falar de 90% dos atletas portugueses presentes em Pequim.

A Comunicação Social portuguesa aproveitou de uma maneira vergonhosa o desaire e os desabafos «a quente» de alguns atletas portugueses nos Jogos Olímpicos de Pequim. E foi especialmente a Comunicação Social que ampliou esse desânimo quando deveria ter feito precisamente o contrário de modo a motivar os portugueses que ainda estavam em prova. O pior exemplo veio, inclusive, do próprio Presidente do Comité Olímpico Português, Vicente Moura, que se «demitiu» para depois - quando Nelson Évora ganhou a medalha de ouro - dar o dito por não dito e dizer que afinal pretende continuar em funções. Haja dignidade nestes actos públicos.

Por outro lado, e embora não seja psicólogo, entendo que a maioria dos falhanços dos atletas portugueses mais consagrados - e não só - teve muito a ver com as características da personalidade dos portugueses: a maioria destes atletas chega a uma competição deste género completamente desamparado em termos psicológicos. Em Portugal não há um trabalho de motivação para atletas de alta competição. Dá-se-lhes algumas oportunidades de atingirem os «mínimos» para estarem nestas competições e depois são «abandonados» ao desenrascanço... aliás, talvez a principal característica da personalidade das gentes portuguesas! E ao desenrascarem-se às vezes lá vão ganhando alguma coisa!

E quanto ao alheamento de políticos e governantes - e aproveitamento nas «vitórias» dos atletas - sé vem provar a falta de respeito destes senhores por quem contribui mais para a divulgação de Portugal que todos os políticos juntos!



13 comentários:

Sol da meia noite disse...

Subscrevo.

Parabéns!!! (Pelo texto, claro.)

Beijinho *

Antunes Ferreira disse...

LISBOA * PORTUGAL
ferreihenrique@gmail.com


Boas

Boa! No www.sorumbatico.blogspot.com também tenho um textículo (com x) que versa o tema. Amanhã, conto publicá-lo no Travessa.

Passei hoje por aqui para te dizer olá! E ver como vão as coisas. Pelo que vejo, felizmente bem. Repito: gosto deste blogue. Virei cá sempre que puder pois entendo que o mereces – e dá-me prazer.

Espero também que voltes ao meu Travessa do Ferreira (www.travessadoferreira.blogspot.com). Ou que o visites pela primeira vez. Ficarei, podes ter a certeza, muito satisfeito.
Qjs/Abs

diamante disse...

Não é a 'a virtude está no meio' mas sim 'no meio está a virtude', então esse português?

E as conversas com a lua, ela tem- te respondido?

Também vou criar um blogue para que possas responder, ihiih. Até

Shelyak disse...

E quando tomamos um café, rapaz!?
Abraço :)

Sophiamar disse...

Um excelente post! De uma maneira geral, a participação dos nossos atletas foi boa. Refiro aqui Gustavo Lima, um quarto honroso lugar na vela e outros mereceram um diploma de participação, os jovens que participaram na marcha,um deles bem classificado, a Naíde Gomes ( Força miúda!) que teve uma participação infeliz tendo já dado provas do seu excepcional valor, a Telma Monteiro, o Pina e , claro, os nossos medalhados, Vanessa Fernandes e Nelson Évora. Todos eles levaram o nome de Portugal às cinco partes de mundo e só por isso já devíamos estar-lhes gratos. Algumas declarações foram infelizes mas nem por isso podemos desprezá-los, minorar o seu valor.
Outros problemas há por resolver e o apoio psicológico é fundamental.

Beijinhos

Bem hajas

Pena disse...

Genial Amigo:
Mesmo que queisesse não podia deixar de concordar contigo.
Vergonhosa atitude jornalística, aproveitada no mau sentido.
É verdade, talentoso amigo.

Abraço amigo de parabéns pelo teu génio admirável.

pena

Patrícia disse...

É verdade que a comunicação social está muito mais "preocupada" com os atletas que os políticos. Tal como disse, os políticos apenas usam a imagem dos atletas para dizerem que somos um país ligado ao desporto, com grandes atletas, etc... Mas nunca falam nas pessoas que há por trás. Falo de treinadores, de família, suportes essenciais. A atitude do senhor do comité olímpico é vergonhosa. É uma pena que certos portugueses apenas liguem às medalhas e não ao esforço feito pelos atletas.
Também alguns deles sujeitaram-se a críticas que acho justas.
De qualquer maneira dou os meus parabéns à Vanessa Fernandes e ao Nélson Évora porque acreditaram, porque são atletas excepcionais e porque mostraram sempre uma humildade impressionante aos "caça escândalos".

Cumprimentos =)

Mar Arável disse...

Com o devido respeito pelo país

viva o Benfica

que ganhou 3 medalhas

mulher disse...

Ahahahhah
Gosto muito do Évora,mas este atleta é especial.
Bjinhos

belakbrilha disse...

É verdade, concordo contigo!

...às vezes a imprensa portuguesa, parece "abutre" olhando sempre pelo lado negativo, nunca por um "olhar positivo e incentivador"

Obrigada pelo comentário...penso que sim com alma grande, certamente por isso "olhe" sempre para os outros e só depois para mim.

Vou ter de reaprender a olhar para mim e por mim.

A vida é curta meu amigo, é triste desperdiçá-la!

bj

Paula Crespo disse...

Há infelizmente a tendência para realçar os desaires e dar menor ênfase às conquistas e aos aspectos positivos. E a Comunicação Social tem grande resposnabilidade nisso, de facto. Como na divulgação das notícias e na selecção das mesmas.
Bjs e boas férias!

Maria Clarinda disse...

A 1000000% contigo!!!Excelente o teu post.
Beijinhos

bunny disse...

subscrevo!