sábado, 1 de novembro de 2008

E SE HOUVESSE UM GOLPE DE ESTADO MILITAR AGORA EM PORTUGAL?

O Coronel Magalhães agarrou no Magalhães, abriu-o, ligou-o, conectou-se à net, abriu o Messenger e conectou-se com o Almirante Magalhães. No Messenger apenas escreveu «Depois de ti mais nada», o Almirante respondeu «Oh gente da minha terra» e deu-se início ao golpe de Estado.

De imediato todos os oficiais, sargentos e praças começaram a trocar entre si MMS com a canção de Tony Carreira escolhida para senha. A contra-senha era respondida com a canção de Mariza - há 34 anos e meio tinham sido o «E depois do adeus» do Paulo de Carvalho e «Grândola Vila Morena» de José Afonso. Mas os tempos mudaram e os meios de comunicação escolhidos para o golpe não foram a rádio nem a TV mas sim a internet e os telemóveis. O golpe foi pleneado pelos e-mails, pelos sms, pelos blogues (os oficiais de mais alta patente) e até pelos Hi5 (os soldados em especial).

Os militares andavam descontentes e as altas patentes já haviam prevenido o poder político que em especial os militares mais jovens poderiam reagir de uma forma radical à perda de regalias. E assim aconteceu: apesar da integração europeia e da economia estar muito dependente de um país vizinho, os militares rebelaram-se e estavam muito perto de levarem a contento as suas intenções... e - o mais importante - de novo sem conflitos sangrentos!

Sequestrados os mais altos altos dirigentes políticos e quando parecia que os militares iriam triunfar e nomear um novo Governo, aconteceu o impensável: não houve apoio popular! Porquê? Porque a altura do ano foi muito mal escolhida pelos militares, tiveram um erro estratégico: 50% dos portugueses andavam nas compras nos centros comerciais, 35% estavam no trânsito, parados ou a percorrer auto-estradas e os restantes 15% estavam nas urgências dos hospitais públicos e organismos afins à espera de serem atendidos por um médico espanhol ou uruguaio.

Mas o que deu mesmo cabo do golpe foi a canção escolhida para senha: a canção era um plágio de uma música de um cançonetista mexicano... e nisto os sombreros não perdoam... moveram de imediato um processo aos militares e o golpe - que parecia estar consumado - acabou por abortar...


Portanto, fica o aviso à navegação: quando alguém pensar em praticar um golpe de Estado e se utilizar uma cantiga como senha certifiquem-se que não há conflito com os direitos de autor... é que não há nada mais chato que interromper um golpe de Estado por causa de um plágio!

25 comentários:

Carminda Pinho disse...

Boa pergunta, Alex.

Beijos.

PS: Fico à espera da resposta.:)

Bichodeconta disse...

Urge essa intervenção... Impossivel não recordar o 25 de Abril de que restam apenas , salvo raras excepções, as minhas memórias..Claro que estou a exagerar, ou taléz não! Mas as pessoas estão descontentes, e é preciso fazer alguma coisa para que este estado de coisas se altere..O desemprego que alastra, a saude onde deixaram de ser comparticipados exames de diagnóstico importantes, os salários que cada vez escasseiam mais, a função pública que está descontente.. Em comtra partida sabemos que se quizermos mudar de sexo , essa intervenção é 100% comparticipada..Aguardo com expectativa a tua válida opinião..um bom final de semana, um abraço, ell

Bichodeconta disse...

Ou talvez não..E mais uns erros que a esta hora da manhã até são perdoáveis ehehe, ou talvez não!

hiltom disse...

Não sei como seria. Mas algo me diz que seria bem mais trágico que o 25 Abril.

elvira disse...

Depois da cirurgia, estou regressando aos poucos.
Acredito que haja grande vontade disso. Mas também acredito que um golpe de estado quase sem sangue como em 74, não mais será possível, e as coisas agora podem ser bem trágicas.
Um abraço e bom fim de semana

Ezul disse...

Quantos "25 de Abril" são possíveis? Também havia tanto descontentamento, tantos problemas, antes do 28 de Maio de 1926.E deu no que deu!

Alvaro Gonçalves disse...

Meu amado amigo,


Golpes de estado?, mas quem os fará?
Os actuais portugueses já se renderam à sua evidencia, de que mais um golpe igual ao anterior e aí o país ficaria mesmo nas mãos de outros "capitães" iguais ou piores que os anteriores.
Mudar de capitães, só se realmente houvesse alguém com cabeça tronco e membros fortes o suficiente para que não se corrompessem como no anterior golpe.
No entanto, concerteza a "chamada" para anunciar o golpe seria concerteza bem diferente da anterior com tanta tecnologia e loucura.
Adorei o teu post, está magnifico, mais uma vez obrigado meu amigo.
Um grande xi - coração.

tulipa disse...

Que o silêncio me embale, nesta noite em que falta o abraço quente de um amigo...
Enrodilho-me nas asas do meu anjo invisível.
- Anjo, cantas-me uma canção?



Beijos
e
abraços.

Sei que existes disse...

É bem possível que volte a a haver um golpede estado...
Beijocas grandes

Bichodeconta disse...

Seja então com a intervenção do Magalhães! Mas faça-se acontecer! Com telemóveis, com a net, porque não?Com um fado da Mariza de que tanto gosto, ou com uma plagiada de Tony Carreira que dispenso, mas faça-se alguma coisa que tire este pais (que é o nosso) deste ostracismo a que foi votado.. Faça-se..Beijinho, ell

Sol da meia noite disse...

Moral da história: o Magalhães até que tem utilidade... eheheh!!!

Está espectacular o post!


Beijinhos * * *

mariam disse...

Alexandre,
não pude deixar de sorrir ao ler este excelente post!

a vida está agreste,
mas no marasmo em que se está... parece-me impossível tal façanha!

mas, se houver, avisa-me por e-mail.. pode ser??

boa semana
um grande sorriso :)

mariam

Sophiamar disse...

Que o descontentamento se passeia por todo o lado é uma verdade. Onde está a saída? Não é fácil encontrá-la.

Beijinhos

Maria, Simplesmente disse...

Nunca é anunciado com tempo para pensar! Quando é... já foi.
Caso se desse teríamos a América a meter tudo na ordem, embora a política mundial hoje seja outra.
Enche a dispensa, não te esqueças.
Boa semana
Maria

Diário de um Anjo disse...

granda imaginação hehehehe

Maria, Simplesmente disse...

Afinal estive a ler melhor o teu "Golpe de Estado" mas afinal p "Magalhães" dá para os dois lados!
É que o contragolpe também tem o Magalhães, telemóveis, enfim tudo o que o "Golpe" tem...
Isto hoje só há um que se escapa e eu nem pronúncio o nome dele. É aquele que nunca é encontrado mas outros sabem muito bem onde ele está está. Esse parece que quando está lá, jé esteve...
Que coisa mais complicada!
Pode ser que o Magalhães consiga encontrá-lo inteligente como é.
Maria

Maria, Simplesmente disse...

Agora vi que este meu último comentário necessita de tradução. Se fazes favor traduz para português correcto.Depois diz-me quanto é a tradução, está bem?
Maria

Carla Silva e Cunha disse...

sempre muito interessante


http://www.arte-e-ponto.blogspot.com

Andreia do Flautim disse...

Um golpe militar é que era!...

Filoxera disse...

Que engraçado, este post. Gostei particularmente da parte em que te referes aos portugueses que passeavam nos centros comerciais...
Beijos.

Maria Clarinda disse...

Pois...mas é bom realmente pensarmos nisso...
O teu post está o máximo, adorei.
Jinhos mil

SILÊNCIO CULPADO disse...

Alexandre
Este post está o máximo. Com muito humor e muitas verdades implícitas.
O que me dizes da senha musical ser o tema do filme "O Padrinho"? Não é português mas é universal. E, vendo bem, estamos em época de globalização.
Quanto ao Magalhães, olha eu tenho um fraco por ele. É pequenino, à nossa dimensão, e acomoda-se bem.

Beijos

NiNa disse...

Bela sátira sim sra...
SEmpre em grande estilo
Um beijinho de quem tem andado meio desligada do mundo virtual!

elvira carvalho disse...

Adorei o post. Deu sentido a um dia que até este momento, esteve tão cinzento, mas tão cinzentão, que nem sei se foi dia, se noite, se uma aberração da natureza.
Um abraço e uma boa semana...sem golpes de estado.

Vera disse...

Que sentido de humor Alex!
Pois que venha o golpe. Mas sem plágio!

Beijinhos