terça-feira, 6 de novembro de 2007

ACIDENTES RODOVIÁRIOS EM PORTUGAL NÃO TÊM QUE SER FATALIDADE!!!

Nos últimos dias as manchetes dos jornais e os noticiários das televisões quase só tiveram um único motivo para falar: os graves acidentes rodoviários em Portugal! Coincidência? Eu penso que não!

Os acidentes rodoviários - e outros acidentes - em Portugal são sempre encarados como uma fatalidade e nunca deles se retiram efeitos pedagógicos: talvez à excepção da queda da ponte de Entre-os-Rios, nunca se investigam a fundo as causas dos grandes acidentes rodoviários.

Contam-se os mortos e os feridos, fazem-se manchetes nos jornais com as estatísticas, as entidades oficiais exaltam quando há menos uma vítima em relação a período análogo nos anos anteriores... e tudo fica na mesma!

Os pontos negros continuam, as obras eternas e mal assinaladas continuam, as passadeiras de peões quase imperceptíveis lá estão, os condutores exibem os seus seguros e ficam impunes... quantas causas de acidentes que poderiam servir de lição para evitar outros acidentes!!!

Estes acidentes dos últimos dias não me espantaram. Há locais - dentro e fora das localidades - que são previsivelmente acidentáveis: não é por acaso que muitas empresas de reboques estacionam as suas viaturas nesses pontos porque sabem que terão serviço ao longo do dia.

E há coisas tão simples - mas tão simples! - de alterar e evitar mortes e traumas. Se eu der uma volta aqui no local onde vivo posso enumerar dezenas deles, desde lombas danificadas que os condutores contornam quase apanhando peões nas bermas, desde saídas de escolas sem protecção, desde rotundas com piso de manteiga e inclinação contrária... um dia vou falar disto mas com documentação fotográfica!

Se em Inglaterra, por exemplo, há quatro vezes menos acidentes rodoviários que em Portugal porque não se copiam modelos de países civilizados? Se esta é a sociedade do automóvel porque não é tudo feito em função da segurança?

A Guerra Civil que são as estradas em Portugal continua dentro de momentos... Ou melhor, está a acontecer...

29 comentários:

Diário de um Anjo disse...

Pode-se copiar modelos importados mas não se pode mudar as mentalidades e os portugueses continuam a ter uma condução de risco. Beijinhos

Sol da meia noite disse...

Jornais, televisões... e o teu Fundamentalidades... todos a falar do mesmo.
Talvez por ser mesmo fundamental que se fale, já pensaste?...
*

Rui Caetano disse...

EStes problemas insistem em acontecer em POrtugal, não sei se é do desenho das estradas, se é dos condutores, se é dos automóveis, o que sabemos e ouvimos dizer é que os acidentes continuam a matar sem dó nem piedade nas nossas estradas.

Bichodeconta disse...

Alexandre esse tema é de hoje e de todos os dias.. Eu própria no dia 13 de Outubro, em pleno eixo Norte Sul, depois de Camarate, encontro alguém que se enganou no caminho, queria seguir para o alto do Lumiar , então fez marcha atrás, e claro, não consegundo desviar-me a tempo, bati na lateral traseira do carro do sr.. O meu polo está na sucata, perda total.. peritagem condicional, e ainda não está resolvido porque o sr diz que estava parado, (não estando) e porque , e porque , e porque ..como se não fosse tão evidente de quem é a culpa do acidente.. A única preocupação do casal que vinha das comemorações de Fátima, era o estado em que tinham o mercedes... enfim, matam-se as pessoas, provocam-se acidentes com danos fisicos e psicológicos, mas as companhias de seguros, não podendo devolver a vida ás pessoas podia pelo menos minurar os seus sofrimentos e assumir as suas responsabilidades, pagando o que é devido ás famílias das vitimas que por vezes nem dinheiro tem para os funerais.. UM ABRAÇO ALEXANDRE, PAREÇO UMA GALINHA, NÃO ME CALO.. DESCULPE...

margusta disse...

Querido amigo Alexandre,
passo só para te deixar um grande beijinhooooooooooooooo!!!
Perdoa a minha ausência mas as palavras andam meio fugidasde mim, embora muitas vezes me sente aqui a visitar os amigos...as palavras acabam por não sair, e eu saio em silêncio....

Anónimo disse...

Por isso e que eu nao quero ser condutora.
Andamos de carro e depois e no que da!
Gosto muito do meu blog.
Beijinhos
Asss. Tania

cõllybry disse...

Voltei...Este tema é muito importante, infelizmente a cada dia aumenta, penso que a falta de respeito, civismo, a irritabilidade frenética, inerente dos problemas diários
Da Família, também contribui muito…
Meu doce beijo

Betty Branco Martins disse...

Querido Alexandre

________pois é! a nossa (portugueses) mentalidade teria que ser toda alterada_______talvez através de uma Leucotomia_______assim nas estradas________o civismo. bom-senso. iriam evitar muita coisa

Excelente post

Beijinhos com carinho
BS

Cris disse...

Excelente post!!!
O que está longe de ser excelente é, como afirmas, a segurança rodoviária em Portugal!! E tudo aponta para que venha a piorar caso não se mudem atitudes e políticas!

Bjs

Visão Caleidoscópica disse...

Vamos mudar políticas, respeito pelo próximo, mentalidades, civismo...enfim.
Depois falamos sobre a baixa de acidentes rodoviários.
Tema interessante!
E mais nada vou dizer porque tenho aqui uma melga que não me deixa escrever-te um comentário de jeito.
Fica bem.
Até mais...

Visão Caleidoscópica disse...

Parabéns pela escolha musical!
Os sheiks foram um dos meus primeiros grupos de eleição :))
Há que séculos que eu não ouvia isto!!!
Obrigada por me permitires voltar uns aninhos atrás.
Beijos.

Papoila disse...

Tem sido difícil este mês de Novembro...
Só notícias dessas, mas tens razão, seria necessário um pouco de boa vontade para resolver certas situações.

Beijos
BF

Pena disse...

Amigo Deslumbrante e Talentoso Alexandre:
No fundo de todos os acidentes rodoviários, penso que existe uma eduação cívica defeituosa e de falsa conduta de uma autêntica Cidadania. É um problema educacional e cívico.
Queremos atravessar as estradas em mau estado mais depressa do que os outros, para ver quem sai vencedor. Não se respeitam prioridades, não se respeitam os sinais de trânsito, não se respeita os outros cidadãos, não se respeita a íntegridade física e psíquica de famílias pacatas e bem formadas que passeiam pelas estradas. Só felizes em passear. Estas, ultimamente, têm sido sujeitas a mortes incríveis por desrespeito acente numa ausência duma verdadeira Educação para a Cidadania e de desrespeito pela sua íntegra humanidade e forma de estar e ser na vida ao volante. Quantas famílias desfeitas num ápice? Por razões impensáveis: o álcool, principalmente, ou desvarios pessoais nas suas cabeças irresponsáveis que não agem conscientemente.
Brilhante, Alexandre, é como dizes, necessitam-se de verdadeiras lições pedagógicas aos audaciosos valentes do volante. É tudo deles. Agarram num automóvel e ganham uma taça ao chegarem: São os primeiros. Sempre!
Quantas famílias desfeitas que o seguro tudo paga...mas, não serve nem se ajusta emocionalmente às perdas humanas!
Brilhante, Deslumbrante Amigo Alexandre!
Sempre atento e claro na tua peculiar e pertinente tratamento do que te preocupa e preocupa toda a gente.
Parabéns!

Sempre a considerar-te e a estimar-te com delícia.

Abraço Forte

O sempre presente

pena

Um Momento disse...

Acidentes e mais acidentes...
Está caótico meu amigo
E depois vêm com desculpas esfarrapadas
E o pior... é que parece que muitas pessoas continuam a conduzir como se nada se houvesse passado, como que "só acontece aos outros"
Fico furibunca pois não há consciência( ou fazem de conta) de tão desatrosos acontecimentos:(, passam a noticia e prontos...Grrrr

Deixo um beijo
(*)

NINHO DE CUCO disse...

É verdade amigo. Esta é uma chaga que mata mais que qualquer epidemia e qualquer guerra e, como elas deixa destroços e mutilados. Mas nós vivemos num país que não vive, que não progride, que não ama, que não evolui.

Carminda Pinho disse...

Boa pergunta Alexandre!
Porquê?
Parece que pensam que acontece só aos outros.
Este País está adiado até quando?
Bjs

Kalinka disse...

AMIGO ALEXANDRE
Quando me aventuro a ler o que escreves, fico sempre fascinada, pois com muita subtileza vais dizendo o que é preciso!!!

Li-te para trás, falaste do belo Alentejo...

Ando angustiada pela falta de tempo que tenho tido nos ultimos 10 dias; fui de férias(em passeio) 3 dias ao Algarve e 4 dias até ao Norte...e, assim tenho estado ausente.

Beijitos.

Luz&Amor disse...

Os vícios serão sempre repetidos, de um lado a outro. Aqui não é diferente também. Até quando???
Deixo-te beijos amigo.
Bjs

M. disse...

O ano passado estive 15 dias em Toronto e fiquei estupefacta com a organização das estradas e do trânsito, num país onde as pessoas são por natureza "stressadas" no caminho para o trabalho, não vi nenhum acidente e testemunhei bem agradada o modo como as pessoas conduzem civilizadamente, sem pressas, sem excessos em estradas perfeitas que se fossem por cá espevitavam os aceleras! Basta ver os malucos ao volante que cruzamos nas nossas pobres estradas e autoestradas.. Por mais mortes que ocorram, ainda por cima inocentes, por maiores e mais ridiculas que sejam as multas, os radares, as medidas de prevenção que o português se farta de protestar, não vejo resultados positivos. A semana passada foi do priorio, realmente. Nem quero pensar quando chegarem as primeiras chuvas...

Blue Velvet disse...

Já foi quase tudo dito nos comentários anteriores, excepto duas coisas, que ao ver a notícia, num especial da Sic me deixou chocada ( para além do acidente, claro):

1º As vítimas vinham de uma viagem a Fátima. Doesn't this ring a bell?

2º Os passageiros tinham idades que rondavam, em média, cinquenta e poucos anos, e os jornalistas referiram-se-lhes sempre como " Idosos".

Não me apetece dizer mais nada...

Beijinhos

turbolenta disse...

claro que havendo cada vez mais carros,um grande número de pessoas recentemente encartadas e com pouca prática, os perigos na estrada aumentam.
Mas as Estradas de Portugal, as Câmaras, a Brisa...etc...também têm de ser responsabilizadas pelos acidentes que provocam .
Pensava eu que era só aqui em Loures que os engenheiros tinham por hábito construir as novas rotundas com a inclinação ao contrário da que deveria ser feita.
Agora penso que deve ser nova técnica. Novas normas para a construção das mesmas...afinal, no ensino nada é como dantes. Antigamente havia menos alunos e talvez aprendessem mais. Agora... experimenta-se tudo, primeiro, no terreno....Depois: se chegarem à conclusão que está mal, que morre muita gente....então sim....é tempo de proceder à rectificação.
Os trabalhadores são cada vez menos credenciados. Todos, ou quase, pertencem a empresas de trabalho temporário, mal pagos e com emprego não estável. Os incentivos ao bom desempenho não são nenhuns.
Os empreiteiros...esses...preferem o dinheiro a deixarem uma boa obra!
E como não há quem ponha mão nisto...porque há muitos a comer da mesma gamela, e o negócio não se pode estragar...tudo leva anos a ser feito, as obras param a meio e nunca mais são concluídas e ....olha....é este o Portugal que temos!
Só buracos!
tenho dito!
bom resto de semana

GarçaReal disse...

Temos que concordar que é triste,mas também não é menos certo que se estão "ralando"para estes factos.

Assim e em tristeza temos que viver com aquilo que temos.

bjgrande

Márcio disse...

O grande problema ainda está na civilização do condutor... como eu ia aí num local, nas escolas não se ensina a conduzir, ensina-se a tirar a carta de condução... e é pena. Eu irei começar em breve a começar a tirar a condução, e espero conseguir manter sempre a calma suficiente e praticar a chamada condução defensiva em todas as situações. Tudo farei para tal aconteça pelo menos…

Ka disse...

Pois.. já tudo foi dito mas realmente acredito que os dois grandes problemas da consução em Portugal são a falta de civismo a conduzir e a lei que não é cumprida. Temos um problema cultural em que nada é feito para ser cumprido e muito pouca gente tem respeito pelo próximo.

Beijinho

Ivy disse...

Oi Alexandre. Ouço tanto falar deste assunto aqui no Brasil, que acabo por acreditar que o problema é só nosso. Mas como vejo, este é um problema de "além mar"...
Um abraço!

Suspiros disse...

Pois, não se percebe...
:(

Jasmim disse...

tens razão; nós naõ vivemso em guerra; mas as nossas estradas matam e trucidam mais que qualquer guerra civil.
Um bj

SílviA disse...

Haja alguma coisa em que estamos em primeiro... acidentes rodoviarios :(

Enfim... so querem saber de tgv e ota ou mais uma ponte sobre o Tejo :/

Bj

Anónimo disse...

os acidentes rodoviarios e uma estupides todos os anos morrem imensa genta
eu conheço um blog ainda recente que tem muitos assuntos fixes
http://mudar-o-mundo.blogs.iol.pt
visitem-no e divirtanse a fazer comentarios e opinioes
atençao este blog e feito por joven de 13 anos
abraço