sexta-feira, 5 de setembro de 2008

AS ELEIÇÕES EM ANGOLA E A SUA INFLUÊNCIA EM PORTUGAL!

Sobre Angola lembro-me de - na escola primária - ter que aprender o nome das cidades, das províncias, dos rios, das linhas férreas... depois lembro-me de uma publicação onde vinha uma fotografia de um tio meu - felizmente ainda vivo, mas com traumas da guerra - a acender um cigarro vestido com fato da tropa. Nessa publicação vinha uma extensa lista de nomes, os quais a minha mãe disse serem soldados que tinham morrido na guerra de Angola...

Um dia - nos anos 60 - um soldado que tinha sobrevivido à guerra de Angola pediu às mulheres que estavam às varandas a conversar (as mulheres nessa altura estavam quase todas em casa) se alguma delas tinha tranças que lhe pudessem dar para ele pagar a promessa de que regressaria vivo da guerra... uma das mulheres foi buscar umas tranças grossas e compridas que guardava há mais de 10 anos e deu-lhas... essa mulher era a minha mãe - até hoje nunca percebi a coragem que ela teve em dar o seu cabelo a um desconhecido... mais tarde, ouvi-a chorar muito, deveria ter sido por isso!

Lembro-me ainda de ouvir o meu pai e o meu avô combinarem qualquer coisa como «o que fariam comigo daí a uns anos...» para me livrarem da guerra! Entretanto, Salazar morreu, ouvi gritar «Angola é nossa», houve uma qualquer crise do petróleo em 1973, Angola cresceu nesse ano 25%, e no ano seguinte continuou a falar-se de Angola mas por outros motivos...

Em 1976 vieram morar para a casa ao lado da dos meus pais um casal vindo de Angola: tinham fugido de Cabinda, ele era - e é, ainda lá estão! - branco, ela mulata. Na escola, por esses anos, muitos colegas meus eram oriundos das antigas colónias de Portugal e em Setembro de 1978 conheci um grupo de pessoas «retornadas» do melhor que havia na altura.

Entretanto, a guerra continuou em Angola com contornos muito mais dramáticos que os da guerra colonial. Em 1992 «houve» as primeiras eleições que acabaram numa carnificina difícil de descrever e compreender. De 1998 a 2007 trabalhei com um «angolano» que me ensinou muita da filosofia que está na base daquele país. Já no novo século o filho de 14 anos de uma colega minha foi assassinado quando o pai o levou para uma caçada no meio da selva... alguns meses depois, Savimbi era capturado e assassinado... a paz - ou um pedacinho de paz - chegou a Angola e, como se previa, o país começou a crescer economicamente a um ritmo que fará de Angola, com certeza, nos próximos anos um dos países mais poderosos de África...

... E com a colaboração dos portugueses: há uma cumplicidade entre Portugal e Angola que nem as más políticas e os maus políticos poderão apagar... Veja-se só como se festejam em Angola os desempenhos da Selecção portuguesa de futebol e dos principais clubes, em especial o Benfica e o FCPorto (de quem Eduardo dos Santos é acérrimo adepto).

Força, Angola! Que as eleições de hoje sejam só mais um passo no caminho da grandeza e da ... PAZ!!!




14 comentários:

Sol da meia noite disse...

Não me quer parecer que haja interesse em instalar a paz naquele país.
Será sempre, uma paz armada.

Bom post.


Um beijinho *

Filoxera disse...

Que este magnífico país possa, brevemente, encontrar o destino merecido: paz e prosperidade.
Como eu gostaria de um dia ir a Angola!...
Beijos, Alex.

paulavicente.artfactu disse...

Claro que acho que o post merece algum comentário. É uma rápida análise de todo o blogue, muito interessante. Diferente da "onda" habitual. Relativamente, a este post especifico, adoraria que encontrassem o caminho a seguir, de uma vez por todas!!!

Andreia do Flautim disse...

Será que terão paz?

Lia disse...

Há já alguns anos que não existem eleições livres em Angola...vamos ver!
Muito bom post!;0)
Bjs

Maria, Simplesmente disse...

Angola ter paz!... Angola ter eleições livres!... Se não fosse tão triste eu dava uma gargalhada.
Como é que tu queres que um País tão rico, tão cheio de corrupção possa ter paz?... Estão a brincar ou quê?...
Ajudem Angola dizendo a verdade, e não fantasiando.
À volta de Luanda vive um terço de toda a população de Angola.
O crime, a corrupção, a fome, a miséria a prostituição é o dia a dia daquela gente.
A história é diferente da que querem dar a ver.
Não digo mais nada.
Se quiseres eliminar este comentário elimina, mas não aplaudo assassinos e corruptos.
Desculpa este desabafo
Maria.

Alfazema Azul disse...

Foi num mapa semelhante ( político) que estudei Angola. Um país riquíssimo, catorze vezes e meia maior que Portugal Continental em superfície. Que o seu povo encontre o caminho da prosperidade. E tanto o merece!

Beijinhos

Carminda Pinho disse...

Olá Alexandre!
Era bom, muito bom, que o povo angolano encontrasse a paz com estas eleições, embora tenha muitas dúvidas...

Beijos

Bichodeconta disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Bichodeconta disse...

Esse casal que morou junto á tua casa e hoje vive novamente em Cabinda, eram certamente pessoas na altura persseguidas pela FLEC ( Frente de Libertação do Enclave de Cabinda)É ai que estão as maiores riquezas de Angola, o Petróleo, os Diamantes, etc..Todos aprendemos na escola os rios, as linhas férreas, e muito mais sobre Angola..Mas na minha modesta opinião, Angola não é nossa(Portuguesa)Angola é dos Angolanos, pode ser das pessoas que lá vivem lá criam riqueza. Riqueza é a palavras que trás depois a Guerra, todos querem enriquecer, mas o povo O verdadeiro povo Angolano pouco ou nada usufrui das riquezas do seu pais..Continuam muitos a alimentar-se de milho, mandioca, peixe por eles pescado e da caça conseguida com o seu esforço. Lutaram contra o colonialismo Portugues, e hoje vão ter de lutar contra outro tipo de colonialismo camuflado..No entanto conheço pessoas de Angola que admitem ter Portugal no coração, e isso é de alguém muito nobre..Amo Africa que não conheço, e sei, todos sabemos, as atrocidades que em nome da Pátria foram levadas a cabo contra o povo Angolano e não só.. As mulheres e crianças eram maltratadas e abusadas sexualmente, as tabancas eram incendiadas , morrendo nelas , muitas vezes, familias inteiras, isto era feito por Portugueses que hoje todos sofrem de alguma perturbação psicossomática trazida dos tempos da guerra.. E os traumas daquele povo?As crianças desmembradas de membros e de familia, os que viram matar todos os seus e ficaram ao abandono? Mutilados, doentes, pobres mas que vão continuar a fazer crescer a riqueza de meia dúzia.. Quantos mais filhos um pobre tem, mais escravos há para os senhores sem escrupulos..Nesse tempo, filho de pobre nem abeirava as portas de uma universidade, NÃO POR FALTA DE INTELIGENCIA, MAS PORQUE ESSE DIREITO SAGRADO LHES ERA NEGADO ..ESTE TEMA DÁ PANO PARA MANGAS COMO SE DIZ NA MINHA TERRA(QUE É O ALENTEJO)GOSTARIA EU TAMBÉM QUE ESTAS ELEIÇÕES TROUXESSEM ALGO DE NOVO, MAS A CADEIRA DO PODER É POR DEMAIS COBIÇADA E DIFICIL DE DEIXAR.. A CHAMADA DEMOCRACIA TEM MUITAS ROUPAGENS, POR DETRÁS DE ALGUNS NOMES POMPOSAMENTE ENFEITADOS COM TERMOS SOSIALISTAS OU SOCIALIZANTES, ESCONDE-SE GENTE CAPAZ DE TUDO PARA NÃO ABAMDONAR OS PRIVILÉGIOS ALCANÇADOS.. DESCULPA ALEX, FORÇA AO POVO ANGOLANO, A QUEM EU SIM, CONSIDERO POVO IRMÃO..O DAS CABANAS DE COLMO, OS DESCALÇOS, OS QUE CONTINUAM PRIVADOS DOS DIREITOS MAIS ELEMENTARES, A HIGIENE, A SAUDE, A ALIMENTAÇÃO, O RESPEITO DOS QUE NADA FAZEM A NÃO SER VIVER COMO PARASITAS..DE QUE ME SERVIRIA UMA CAMA EM OURO SE ME FALTASSE SONO PARA DORMIR NELA???? BEIJINHO, ELL..
Ela está com pilhas duracel, e duram, duram, duram

Delfim peixoto disse...

Na verdade as eleições deveriam ter-se realizado há muito, muito tempo...

irneh disse...

Olá Alex!!

Sempre envolvido em causas! Esperemos, então, que a Paz chegue a Angola!

Beijinhos....

Maria, Simplesmente disse...

Então quem teve razão?... Angola e a democracia!...
Eu sou realista embora em tempos tenha gostado de sonhar.
Utópicos por todos os lados.
Se tivesses um Castelo com uma dama muito rica lá dentro e fosse possível utilizar a "brutal" fortuna dela abrias-lhe as portas da liberdade?
Fazias que abrias para ela não gritar.
Todos os poderosos lá estão meu caro.
Sonha que é bom.
Maria

Violeta disse...

Esperamos todos que Angola marque a diferença pela positiva. Desejo mesmo que assim seja, até porque vejo ali um desafio profissional. A ver vamos...
bom domingo!