sábado, 13 de outubro de 2007

PRAXES ACADÉMICAS E OUTRAS COISAS ENDÉMICAS!

Nunca achei piada à maioria das praxes académicas que se praticam nas novas universidades, nos novos institutos ou noutras escolas, até primárias e secundárias! E não acho piada porque essas praxes não têm tradição, não têm qualquer fundamento, são estúpidas e nem sequer têm... piada! Há apenas o intuito de humilhar os recém-chegados às respectivas instituições de ensino!

Em Coimbra, sim! Lembro-me de professores meus que contavam histórias de praxes com tradição e algum nexo! Agora o que vemos aí pelas ruas de Lisboa - e outras cidades - e o que se sabe que se faz no interior das escolas é perfeitamente inócuo, completamente desnecessário, por vezes até criminoso! Por isso é que todos os anos há feridos físicos e psicológicos nesta palhaçada toda... muitas vezes com a tolerância por parte dos conselhos directivos das escolas.

No meu tempo de faculdade possibilitei que muitos caloiros escapassem às praxes, ajudando-os ou prevenindo-os - ainda hoje há quem me chame de padrinho! Deixei de o fazer quando uma caloira me insultou e me desancou por, segundo ela, por minha culpa ela não ter passado pelas «delícias» da praxe! Nunca mais «salvei» ninguém das praxes, tivessem elas piada ou fossem estupidificantes...


17 comentários:

Blue Velvet disse...

Olá Alexandre!!!!!!!!!!!!!!
Bom Dia.............hihihi
Tem toda a razão. De facto tudo o que tem a ver com o mundo académico, embora com pena minha,só tem tradição em Coimbra, a começar pela Queima das Fitas.
Mas, se em Lisboa quisessem requisitar essa tradição até achava muito bem.
Lamentavelmente a história das praxes não é exclusivo de Lisboa nem do mundo académico, nem sequer de Portugal.
É sabido que nas Universidades e na tropa, quer em Inglaterra quer nos Estados Unidos, se passam coisas absolutamente inacreditáveis, algumas com consequências mortais para os envolvidos.
Passar-se-ão noutros sítios, mas não sabemos.
Porquê? Porque sempre que pode, o homem aproveita para humilhar o seu semelhante que julga seu inferior.Mesmo que seja um sargento a humilhar um soldado raso, ou um aluno que anda há 10 anos na faculdade a ridicularizar um miúdo de 18 anos que acabou de entrar.
Isso dá-lhes uma sensação de poder que adoram.
E o que não fazem os homens para ter poder?
Bjinhos

Ah!já me esquecia:que história é aquela de partir em Outubro?Também quero!

Cusco disse...

Assino por baixo!

Abraço e um bom fim-de-semana!

Laura disse...

Bom dia meu querido Alex!
Como sempre és atento, oportuno e inteligente.
O post sobre a "saúde", igualmente me impressionou, não deixei comentário porque li os comentários todos, e um deles, deu-me vontade de fugir! (temos que retomar os desabafos, amigo!).
Quanto a este assunto das praxes, acho completamente ridículo, cansativo e violento, além de barulhento! Eu moro na Baixa Lisboeta e aqui os miúdos andam em força, a festejar sabe-se lá o quê. A juventude talvez, nas desta forma grotesca e alcoolizada sinceramente.... Portanto, detesto!
Bom sábado para ti e tantos beijos!

un dress disse...

as praxes são

/ao k sempre me foi dado ver...

de grande pobreza e constrangedora pobreza de sentido!!
não dá pra entender aquela "baixeza" toda...não dá!



beijO.bOm.diA! :)





beijO

Sol da meia noite disse...

Desnecessário...
Pois, tal como outra tanta coisa nesta vida.
Danos perfeitamente evitáveis!

Um beijo...

PoesiaMGD disse...

Mais um tema actual e muito bem tratado!
Deixo um convite: escritartes.com
Vem espiar e, quem sabe, publicar!
Um abraço

david santos disse...

Bons tempos, Alexandre.
Agora é diferente, mas é como é...
Tudo muda.
Bom fim-de-semana

*Marta* disse...

Boas recordações, Alex! Quando acabei de ler o primeiro parágrafo pensei logo em comentar sobre as praxes de Coimbra, cheias de tradição, mas antecipaste-te.Não tenho contudo dúvidas que em Coimbra nasceram as verdadeiras e saborosas praxes académicas; no meu tempo, e já lá vão 17 anos, já tinham perdido alguma piada se bem que ainda eram melhores que nos dias de hoje. No entanto também se deram alguns crimes, e o último que mais me marcou foi quando despejaram uma garrafa de vodka através de um funil pela garganta de um pobre estudante. Nem saiu de Coimbra com vida. Quanto às praxes praticadas no resto do pais nem me fales... e divertem-se eles..

Besitos

cõllybry disse...

Coimbra fica a saudade, já nada é como era...

Doce beijo

Lusófona disse...

Querido Alexandre!
Também não acho piada alguma..
Quando entrei na faculdade, ao invés de praxes, tivemos um coquetel de boas-vindas, foi super giro.

Beijos e fica bem

Mar Arável disse...

XIRIBITA A TA TA TÁ

por lá estive

e ainda hoje

há quem o queira ressuscitar

Tiago' disse...

Praxes. Uau.

Estou no 9º ano, mas não mes into ansioso de chegar á Universidade por isto mesmo. Não quero ser extremista, mas se o governo quer apostar na formação dos jovens, e que tal acabar com isto de vez? Só os vai distrair!!

PS: uma boa praxe seria, por xemplo, limpar uma rua, ou atravessar sempre na passadeira. Acreditem que já ia custar e, ao mesmo tempo, ajudava o país!!

Um abraço! ;)

Som Do Silêncio disse...

Alexandre

Pois as praxes...
Tema sempre polémico mas que nunca ninguém quer discutir.
Uns são a favor, já outros são completamente contra.
Enfim ideias!

Um Beijo Idealista

Andreia do Flautim disse...

Eu nunca praxei ninguem porque também penso como tu, mas fui muito praxada no meu ano de caloira!

Andreia do Flautim disse...

É verdade, quem me tirou fotos nas férias era o meu pai, ou a minha mãe ou a susana!

às vezes tira-me também o meu irmão e o meu namorado! ;)

Suspiros disse...

Eu nunca praxei (na Universidade :D)mas fui praxada em Coimbra. Coimbra é sempre Coimbra! Nós é que já não somos caloiros(as).
;)

bunny disse...

eu ca gostava d voltar atras no tempo..:) e tenho mesmo mtpena de nao ter sido amis praxada....porque os meus colegas contaram historias tao fixes.....

gostei do post......e do blog...